Total de visualizações de página

terça-feira, 5 de abril de 2011

Alimentação no ambiente escolar

ALIMENTAÇÃO NO AMBIENTE
ESCOLAR

Cleber de Souza



RESUMO

Sabe-se que todos precisamos de alimentos para viver. Podemos viver bem ou viver mal e muito disso está relacionado com o que comemos, com os alimentos que ingerimos. Nossas crianças estão cada vez mais doentes, menos saudáveis. Acredita-se, que um trabalho de conscientização alimentar, bem como, uma prática correta de hábitos alimentares saudáveis na própria escola, melhoraria em muito a qualidade de vida de nossas crianças em idade escolar e compensaria muitas vezes a alimentação defasada que elas tem em casa. A escola deve ser um começo, do que deveria já ser feito muito antes da criança chegar nela: Educação alimentar.


Palavras-chave: Educação; Alimentação; Crianças.


1. INTRODUÇÃO


Um dos lugares que pode mudar a sociedade, é a escola. Nela se faz cidadãos, se moldam pessoas, se ensina a viver, se educa para a vida, para o mundo. Citando um dos maiores problemas da atualidade: a alimentação, vemos aí o grande desafio de nossas escolas, de nossos educadores. O fato de ser a escola o grande instrumento de formar pessoas conscientes, juntamente com o fato de passarmos grande parte de nossa vida freqüentando esse ambiente, ela toma parte na grande responsabilidade pela educação alimentar, desde sua conscientização, até torna-se oferecedora desta, com merendas de qualidade, fazendo assim com que nossas crianças e adolescentes tenham o acesso a alimentos ricos em vitaminas e proteínas, bem como descobrindo no dia-dia os benefícios que a mesma pode lhe oferecer, e os malefícios, os prejuízos causados pela falta da mesma em suas vidas. Qual os benefícios desta alimentação e qual é o envolvimento que a escola deve ter, é uma questão a ser discutida, já que esse tema é uma preocupação de todos nós, de toda sociedade, e envolve muito mais que os educadores, parte de casa para a vida.

2. A saúde e alimentação

Quando se fala hoje em saúde escolar, um dos primeiros temas que nos vem à mente hoje é como está a alimentação de nossas crianças. Sabemos que sua alimentação está bastante deficiente e é uma preocupação da sociedade e principalmente da escola, muitas vezes compensar essa alimentação, já que é comprovado que uma criança com uma alimentação irregular, desnutrição, tem um desenvolvimento mais lento e um aprendizado mais fraco. Muitos são os esforços para compensar essa falta de vitaminas, e um grande trabalho de re-educação alimentar se faz emergente, já que com a industrialização dos alimentos, e a falta de consciência dos pais, bem como a falta de tempo para o preparo de uma alimentação ideal para as crianças em casa, faz o problema aumentar cada vez mais. Alimentação balanceada, vitaminas, alimentos orgânicos, a industrialização de nossos alimentos, nossa saúde, a saúde de nossas crianças, todos esses são temas, que por mais que sejam discutidos na mídia, no dia-dia ainda conhecemos pouco do assunto. Uma alimentação rica em vitaminas, baseadas em frutas, vegetais, alimentos balanceados, se faz hoje necessária para melhoria de nossa qualidade de vida e para o bom desenvolvimento e aprendizado de nossas crianças em idade escolar. Mas o que é vitamina? Onde se encontram? Pra que servem? Como está minha alimentação? Esses questionamentos estão hoje presentes no cotidiano das pessoas, de nossas crianças e principalmente de nossos adolescentes, que estão sempre em busca de o porquê das coisas. Um trabalho de re-educação alimentar se faz necessário, desde dentro do lar passando pelas escolas e envolvendo toda sociedade, responsáveis pela saúde e políticos.

Observando nossas crianças e adolescentes em fase escolar, podemos notar nitidamente o quanto é defasado sua alimentação. Uma alimentação pobre e um hábito alimentar irregular faz-nos meditar, o quão grande é o problema relativo à alimentação de nossa sociedade atual. É através dos alimentos que o corpo recebe todos os nutrientes para ter saúde, para viver bem. Alimentar-se de forma saudável tem algumas vantagens que vai desde o baixo custo, até os benefícios à saúde, ao desenvolvimento, a vida.

Quais as vitaminas existentes, quais os alimentos mais nutritivos é uma dúvida atual. Analisando, nota-se que nossas crianças não se alimentam direito, muitas vezes por falta de instrução, de conhecimento, do quanto é importante uma alimentação balanceada. Acredita-se que um trabalho de conscientização de nossos educandos seria um primeiro passo para essa melhoria em sua qualidade de vida.



Uma alimentação equilibrada baseada em frutas, verduras, legumes, cereais integrais ricos em fibras, é o melhor caminho para quem não quer se deparar mais cedo ou mais tarde com esse terrível diagnóstico: estou com câncer. (DANIEL, 1999, p.36).

Conscientizar de forma dinâmica e eficaz sobre a importância de uma alimentação rica em vitaminas balanceada é um caso de extrema urgência e é essa necessidade que devemos suprir. “Os melhores alimentos para as crianças são os naturais: frutas, verduras, cereais integrais, não refinados e que tenham passado pelo menor grau de processamento”.(DANIEL, 1999, p.46). Percebe-se que o tema é amplo e de extrema importância, para tanto se faz necessário trabalhar dentro do cotidiano e em todas as disciplinas bem como, um trabalho de conscientização não só do aluno, mas dos professores e de toda a sociedade.

      Pode-se dizer que é um longo caminho a ser traçado, mas principalmente nas escolas e suas merendas, já tem progredido bastante. Existe uma preocupação muito grande por parte da comunidade escolar com a qualidade alimentar, com alimentos ricos em proteínas, acompanhamento de nutricionistas, inclusão de alimentos orgânicos no cardápio e menos alimentos industrializados, é o que as escolas estão buscando. O governo também tem investido bastante em programas de conscientização e apoio à educação e saúde atualmente, mas apesar de todos os esforços da sociedade, as crianças são bombardeadas pela mídia com propagandas cada vez mais sedutoras no que se diz respeito a alimentos. É um combate que podemos chamar de difícil, mas uma guerra pela vida, pela saúde. A escola que antes tinha apenas a função de educar “disciplinas”, hoje tem um desafio maior que é formar cidadãos conscientes, saudáveis e felizes. Para tanto, esse envolvimento que vem desde os pais e chega até todos, é um desafio, uma saída de nosso comodismo.

A escola deve sim levar aos nossos adolescentes e crianças o conhecimento e o contato, mostrando quais são os alimentos saudáveis e seus benefícios a longo e curto prazo, quais os alimentos ricos em proteínas e vitaminas, sua importância nas funções de nosso organismo e desenvolvimento do corpo, identificando os alimentos que fazem parte de uma alimentação irregular e pobre em vitaminas, bem como os benefícios e os malefícios causados pelos mesmos e avaliar como está a alimentação de nossos alunos, em casa e na escola. O passo de fornecer alimentos saudáveis em suas merendas, já é uma grande conquista atual, mas não se pode esquecer que é somente um passo de muitos que deverão ser dados em direção a uma qualidade de vida cada vez melhor.


4. CONCLUSÃO

            Aceitar que a alimentação é um tema complicado e que a responsabilidade é da escola, é muito fácil. Pode-se dizer que a escola tem um grande desafio quando se trata deste e de outros temas. Ela recebe as crianças com uma consciência já formada. Essas crianças vêm de casa com hábitos alimentares e posturas totalmente fora do ideal. Os pais, não por falta de informação, mas por ignorância, deixam-se levar pela mídia, e ensinam os filhos a seguirem o mesmo caminho. Alimentos industrializados, doces, balas, pirulitos, etc, são hábitos adquiridos em casa (a criança não aprende a comer na escola). Nas merendas escolares, ao invés de tomar suco natural, preferem comer salgadinhos e beber refrigerante. Tudo culpa de quem? Da escola? Do professor? Da sociedade? Da mídia? Você já viu uma propaganda de tv lhe induzindo a comer cenoura?
Realmente percebe-se que o tema é muito extenso e complicado, e acredito que ao se tratar de escola, quem deveria ser informado e conscientizado são os pais, porque eles sim são os primeiros responsáveis pela alimentação de seus filhos. A escola deve, tem e está tentando fazer sua parte. Falta muito, mas não pode recair sobre ela toda a culpa pelo mau hábito alimentar de suas crianças e adolescentes.

5. REFERÊNCIAS


FERREIRA, Daniel B. Saúde: o Bem Mais Precioso da Vida. 18.ed. Maringá: Gráfica Caniatti&Marhezan, 1998.

SOUZA, Ivonete dos Santos. Nutrição, Higiene e Saúde. Caderno de Estudos NEAD. Indaial, 2005.

WIKIPEDIA. Alimentação. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/alimentacao . Acesso em: 25 março. 2007.


Nenhum comentário:

Postar um comentário