Total de visualizações de página

sábado, 24 de setembro de 2011

Visita de estudos em laboratórios de Biologia

Projeto: Conhecimento não se faz só na escola
Justificativa:
“Não basta saber, tem que saber fazer”. O aluno por muitas vezes não tem no assunto aplicado dentro da escola nenhuma visão da necessidade de conhecer o mesmo e na maioria não aprende pois não é significativo para o mesmo. Justifica-se neste a necessidade de o aluno ir a campo e conhecer muito mais do que os livros tem a oferecer .
Objetivo:
Levar os alunos para passeios de estudo fora da escola onde os mesmos possam integrar a teoria do cotidiano escolar com a prática externa a ele. Revelar aos alunos que o conteúdo aplicado em sala faz parte do universo, dentro e fora da escola.
Metodologia
Proporcionar aos alunos passeios fora da escola.
Fotos do passeio dos alunos da
ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR SYLVIO SNIECIKOVSKI em Laboratórios de Universidade de Joinville.






























Zoologia - aulas práticas

Os acadêmicos do curso de Ciências Biológicas da Uniasselvi / Aupex puderam na última aula observar uma caninana. A mesma foi trazida por um aluno que é bombeiro e fez a retirada da mesma em uma residencia da região. Após exposição em sala a mesma foi solta em local adequado. Segue abaixo fotos :













Ressalta-se a importancia de conhecer e preservar os animais.

Nome popular: Caninana
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Nome científico: Spilotes Pullatus
Nome inglês: Rat snake
Distribuição: Américas Central e do Sul
Habitat: Cerrado e Mata Atlântica
Hábito: Diurno
Particularidades: A Caninana tem fama de cobra brava, que corre atrás e alguns dizem que ela é extremamente perigosa, porém tudo não passa de uma fama injusta. Apesar de chegar a 2,50m de comprimento e de achatar o pescoço quando está irritada, a Caninana é uma cobra mansa e sempre foge quando avistada. Como a maioria das cobras não venenosas, pode até morder, mas não passará de um arranhão. Vive próximo de lagos e rios em meio as árvores e arbustos. pode também ser encontrada nadando ou rastejando pelo chão, onde caça aves, roedores e até pequenos lagartos.
Hábitos alimentares: Alimenta-se de aves, pequenos roedores, e pequenos lagartos.
Reprodução: Ovípara, coloca entre 15 e 18 ovos com o nascimento previsto
para início da estação chuvosa.

Fonte: Antonio Bordignon
Projeto Vida de Cobra

Os Anfíbios

É algo realmente triste as pessoas por falta de conhecimento matarem os animais. A cultura humana sobre o domínio das espécies e da natureza, ou a falta de saberes inerentes aos seres vivos em sua volta fez do ser humano um exterminador do futuro. Desde pequenas as crianças aprendem a matar os pequenos seres vivos, aranhas, lagartas, borboletas....aprendem a jogar sal  no sapo, pedra nos pássaros, bater na cabeça das cobras. Devemos respeitar a natureza e cuidar dela sabendo que tudo o que fizermos de negativo para a mesma retornará para nós com o dobro de força.  


Os anfíbios estão vivem em nosso planeta a mais de 350 milhões de anos e é considerado como primeiro vertebrado a pisar em terra firme. São animais base da cadeia alimentar, fazendo controle biológico dos insetos e servindo de alimento à uma diversidade muito grande de animais. Pássaros, cobras, lagartos e outros carnivoros, tem nos anfíbios uma rica fonte de nutrientes. O ser humano interfere nas cadeias alimentares, alterando os ciclos naturais, extinguindo espécies tanto animais quanto vegetais, desmatando, matando, poluindo fontes e paraísos naturais de nosso planeta. Esses ecossistemas acabados sofrem redução de sua fauna/flora e consequentemente extinção de algumas espécies dentre elas podemos citar os anfíbios. Devemos conhecer para preservar esses seres que não fazem mal a ninguém. Algumas características destes animais:




Os Anfíbios

São os sapos, rãs, pererecas, salamandras e cobras cegas. São dotados de dois pares de membros locomotores com exceção da Cecília ou cobra cega.




Características:

v  Os anfíbios tem pele úmida, sem escamas e sem queratina. Pela pele absorvem água.
v  São pecilotérmicos e a temperatura do corpo varia de acordo com o ambiente.
v  Na fase larval os anfíbios respiram por brânquias e quando adultos por meio de pulmões e pela pele.
v  São carnívoros e se alimentam de insetos, minhocas e outros invertebrados e até mesmo de camundongos.
v  Possuem olhos protegidos por membrana e contra a desidratação, não possuem orelhas externas, apenas uma membrana chamada tímpano que transmitem sons para a orelha interna. Sua pele pode ser comparada ao nosso tato.



Classificação:

Anuros – Sem cauda (grego). Sapos, rãs e pererecas animais desprovidos de cauda na fase adulta. Vivem em lugares úmidos e tem o corpo dividido em cabeça, tronco e membros. Os membros posteriores são maiores e adaptados ao pulo.
Urodelos – Cauda visível (grego). São as salamandras e tritões animais que possuem cauda na fase adulta. Vivem geralmente em terra firme mas procuram lagos e rios na época de reprodução. São raros no Brasil.
Ápodes – Sem pé (grego). São as cecílias ou cobras-cegas. Não tem pernas e seu corpo é cilíndrico e comprido. Vivem enterradas no solo ou em ambientes aquáticos.



Reprodução dos anfíbios.

Possuem fecundação interna e externa. No caso da rã após ela depositar os ovos na água o macho deposita o espermatozóide sobre eles. Na salamandra e cobra cega a fecundação é interna. O macho libera o espermatozóide e a fêmea recolhe para a fecundação dos óvulos internamente.



Conheça, respeite, ame a natureza. Você não é dono de nenhum animal...Eles são livre e só te farão mal se forem ameaçados por você...Cuide do Meio Ambiente.



terça-feira, 13 de setembro de 2011

Educação e Meio Ambiente

Epistemologia


Quando se fala em natureza, meio ambiente logo nos vem à cabeça algumas preocupações, algumas concepções. Algumas dessas concepções acompanham nossas vidas deste nosso nascimento, seja ela por forma de cultura ou por simples incentivo ou estimulo social. Considerando meio ambiente, conscientização, homem, sociedade, natureza, se deparamos com a epistemologia e a suas concepções sobre o uso sistemático dos recursos naturais, bem como toda uma avaliação sobre os níveis de devastação causada pela sociedade, a relação social e política quando o tema volta-se para o meio ambiente, natureza e assim por adiante. Muitas são as idéias, os pensamentos, as concepções em torno de como a natureza devem ser preservadas, bem como os interesses no uso dos recursos naturais foram sendo manipulados pela sociedade capitalista e consumista. O uso desordenado desses recursos vem sendo feito desde a antiguidade, a ideologia do desmatar, destruir, a flora, a fauna e outros vem se criando de maneira quase que inconsciente nos indivíduos.




A sociedade foi crescendo, se desenvolvendo, abrindo caminhos para o desenvolvimento, para as novas tecnologias, para o bem estar do ser humano. Uma idéia de consumir, uma mentalidade capitalista tornou as pessoas, o ser social “homem” um grande destruidor de recursos vitais para sua própria sobrevivência. A epistemologia faz uma análise crítica desses fatores, levando em consideração, fatores históricos e sociais, analisando, pois esses fatos, organizando e criando uma concepção organizada e certa sobre educação ambiental. São positivos esses estudos tendo em vista o que se pensa hoje sobre preservação ser infundado em dados antes nunca levado em conta. Somente após termos consciência do que deve ser feito é que algo pode ser feito. Pena que essa concepção ainda esta muito infundada só no papel, pois na realidade atual ainda não se tem nada de concreto, pelo menos nada que cause mudança, mudança essa que só poderia acontecer a partir do momento em que se inculturar na sociedade não só uma concepção, mas algo que leve a uma mudança de atitude. Um outro fator a ser considerado são os interesses econômicos. Enquanto a massa dos grandes investidores não tomarem consciência e se adequarem os novos padrões de condutas ecologicamente corretos, acredito que pouco ainda será feito, ou melhor, pouco ainda será o efeito do que os poucos que tem consciência já fazem.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Aves em extinção

A cada ano que passa o número de aves em nossa região diminuem por causa da caça predatória. Muitos prendem os pássaros se fazendo donos deles e não acreditam estar fazendo algo errado. Abaixo a imagem de algumas aves mais predadas no ultimo ano. Fonte: IBAMA.

Arara Canindé.
Papagaio do mangue
Pintassilgo 

Periquito Rico

Tico - tico do campo